Dia a Dia

Compromisso.

Estes escritos partiram da sugestão de dois leitores assíduos, como muitas vezes apontam o caminho. Obrigada: Lucas e Luiza. Como a André pela paciência com o site...(e surgirão muitos "obrigados", pois já existem aqui no meu coração um: render grças)

E no tema: Compromisso da alma com a “nova energia”.
Por que há sempre um receio de se comprometer com o “novo”?
Deparo-me tantas vezes com esses fatos.

E dentro da Lei e lição: sem julgamentos, e também respeitando o tempo pessoal.
Mas porque há o receio?
A mente racional prefere estar com antigos e conhecidos padrões de energia.

E parece, tão mais fácil! Já existem.
Afinal o antigo é conhecido (para a mente racional e para o ego)

Dentro do tempo tridimensional – já formados mestres e doutores de causas.
Torna-se tão mais fácil lidar com o “conhecido”, e vai-se prendendo.
E se evidencia: há receio em alguns em si comprometer com o novo.
Onde esta o novo? Ah nossa alma sente, como também o pulsar do coração.

Opa, esta em nós!

Algumas portas tão novas, para a mente racional...E tão conhecida à alma.
Bem dentro de si mesmo: qual o receio de se comprometer com a “nova energia”?

Onde ela é por si só luz-conciência.
Está já em terra, e muitos a sentem...Mas este tal sentir leva a que?
Ficando mais “fácil” se ater ao antigo, pois nele há “segurança”...

É mesmo?

E porque este sentir? Sim, é sentindo.
Porque esta dentro de si mesmo.
Há, evidenciando esta jornada, não mais confrontos e sim fatos.

Os que sentem muitas vezes desconhecem o caminho...E ao tentar caminhos antigos, se depara com tendências onde só cabe: as verdades conhecidas.
Como imposta...Voltamos a subserviência.

E são verdades, mas também há a verdade: a nova energia esta em terra, esta em si mesmo, sempre esteve em nossos corações.

A porta a frente e porque não? Onde alguns estão...Alguns sem serem mestres ou doutores (com pleno respeito aos que são), e sim corações que se expressam. Sem os pesos, pois vem da vontade da alma...Onde reina a liberdade vinda da luz e do amor. O compromisso assumido de si para consigo, onde nos leva a dar as mãos a natureza Terra e os que adentram pela porta.

O sem: o maior, ou melhor. Onde há pleno respeito e interação, pode-se descobrir conscientemente o Ser quem È. Com respeito às parcelas que cada um pode incorporar a si como suas verdades, pois são simplesmente comungadas...O foi, foi tão útil para estarmos aqui.

Onde há receio de luz e consciência?
As rédeas do ego.
E a nova energia nos corações e em Terra.

A natureza pulsa como nossos corações.
O compromisso é antes para consigo.