Colaboradores

Meio e passagem

9/09/10

O que experimentamos neste exato Momento não é para a mente.
É para o Coração.
Abrimos acesso frontal a uma outra Tela de Existência, pois a caixa tridimensional apequenou-se.
O que fizemos foi tão simples...

Esta outra Tela franquia-nos à Unidade.
Desta Tela, dialogamos com as partes de Nós que permanecem em 3ª Dimensão.

Agora é Momento de um adeus agradecido à ilusão.
A Casa foi edificada... Só nos resta habitá-la.
Por isso, celebramos.
Frequências alinhadas para o Pouso... "em tela panorâmica".
Confuso para a mente, não para o Coração.
Deixamos o que parece... para sermos o que É.
Tudo junto, tudo quântico.
Como cabe ao Amor

Autora: Adriana Canova ( Monólogo Amoroso)